domingo, 21 de setembro de 2014

Bandidos se infiltram em evento político para furtar celulares em Ipu (Ce)


Bandidos disfarçados se infiltram com o público do evento ocorrido na cidade de Ipu (CE) durante a última sexta-feira, (19/09), para furtar celulares e carteiras e até dinheiro de pessoas e até candidatos a deputado que participavam do evento de campanha.

Segundo o relatos das vítimas um jovem aparentando ter entre 16 a 18 anos, aproveitando do momento de distração saiu fazendo um verdadeiro 'rapa' no evento ocorrido no centro da cidade na manhã da última sexta-feira. Dentre as vítimas que teve seu aparelho celular furtado está um dos candidatos a deputado estadual, presente no manifesto que acabou não registrando o ocorrido na Delegacia.

Uma das vítimas que teve sua celular furtado se diz decepcionado com o ocorrido "Isso é uma vergonha para a cidade de Ipu, demonstra que a segurança na cidade está precária" ressalta. Umas das vítima que compareceu na Delegacia de Polícia Civil para registra o ocorrido teve um prejuízo de quase R$ 3 Mil valor do telefone furtado pelo bandido que puxou seu aparelho se correu se misturando com a multidão.

A Polícia alerta à população que em evento de grande aglomeração, que as pessoas tenha cuidado com objeto colocados em bolsos afim de evitar a ação de criminosos que se aproveitam da situação para se infiltrarem junto a multidão para cometer furtos.


Fonte: Ipu Notícias

Depois de ser agredido verbalmente por Ciro, Camilo ameaça renunciar sua candidatura.


Depois de ser agredido verbalmente por Ciro, Camilo ameaça renunciar sua candidatura. Porém, assessoria diz que notícia não representa verdade

Em reunião tensa, que quase terminou em murros, Camilo Santana ameaçou renunciar sua candidatura depois de ser agredido verbalmente pelo secretário de saúde, Ciro Gomes. A reunião, que contou também com a presença de Isolda Cela e de Mauro Filho, foi convocada às pressas pelo governador Cid Gomes logo depois de divulgada a pesquisa do jornal O Povo, que Camilo não passou de Eunício.

Na ocasião Ciro Gomes culpou Camilo pelo péssimo desempenho, afirmando que ele fraquejava em não atacar Eunício e mostrar cara de macho. Camilo reagiu, ameaçando renunciar à candidatura, precisando a intervenção de Isolda para apaziguar os ânimos.

Via: Roberto Moreira.

*atualização às 11:45 por Roberto Moreira:
 Foi postada uma informação com o título “Ciro agride e Camilo ameaça renunciar”.
O blog publicou de forma equivocada um realease que não representa a verdade segundo a assessoria do candidato ao governo de Ceará Camilo Santana.
Fonte:

Tasso sobe quatro pontos e chega a 58%; Mauro oscila um ponto e fica com 19%

 Tasso Jereissati (PSDB) subiu quatro pontos percentuais na disputa pelo Senado no Ceará e lidera com 58% das intenções de voto. Mauro Filho (Pros) oscilou um ponto para baixo e tem 19%. Com o resultado, que integra nova rodada da pesquisa O POVO/Datafolha, diferença entre eles passa de 34 para 39 pontos. Geovana Cartaxo (PSB) e Raquel Dias (PSTU), ambas com 2% no levantamento de 3 de setembro, oscilaram para 1%.

Levando em conta apenas votos válidos, quando se excluem da conta eleitores indecisos e votos brancos e nulos, Tasso tem 74% e Mauro 24%. Nesse cenário, forma oficial como são divulgados resultados da eleição, diferença entre eles é de 50 pontos. Raquel Dias alcançaria 2% e Geovana Cartaxo 1%. Essa é a primeira pesquisa Datafolha a divulgar os votos válidos. A pesquisa foi realizada em 18 e 19 de setembro e ouviu 1,2 mil eleitores. Os números de registro TSE são CE-00022/2014 e BR-00695/2014.
  
Em comparação com as outras duas pesquisas, única alteração fora da margem de erro – de três pontos para mais ou para menos – é a de Tasso, que foi de 54% para 58%. Eleitores que dizem votar em branco ou nulo oscilaram de 9% para 7%, e número de indecisos foi de 13 para 14 pontos.

Tasso lidera em todos os segmentos de sexo, idade, escolaridade e renda. O pior desempenho do tucano ocorre entre eleitores mais jovens, de 16 a 24 anos (52%). É justamente neste segmento que Mauro vai melhor, alcançando 28%.
Voto descasado
A pesquisa mostra também descasamento entre as eleições para Governo e Senado. Dos eleitores de Camilo Santana (PT), 44% votariam em Tasso para senador. Já o candidato de Camilo, Mauro Filho (Pros), recebe 39% dos votos de eleitores do petista.

Entre eleitores de Eunício Oliveira (PMDB), 83% pretendem votar em Tasso, enquanto 9% dizem votar em Mauro. (Carlos Mazza)
Metodologia
O Datafolha ouviu 1,2 mil eleitores entre 18 e 19 de setembro, em 47 municípios do Ceará. A margem de erro máxima é de três pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança considerado é de 95%. Isso significa que, em 100 pesquisas com a mesma metodologia, em 95 os resultados estariam dentro da margem de erro.

A seleção dos eleitores pesquisados é feita por sorteio aleatório. A pesquisa foi contratada pelos jornais O POVO e Folha de S.Paulo. Está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com os números CE-00022/2014 e BR-00695/2014.


Fonte:   cearaemrevista.com.br

sábado, 20 de setembro de 2014

História das eleições do Ceará


Na política, água e óleo se misturam, sim. E Coronel de patente vira Governador.

“A única salvação para os vencidos é não esperarem nenhuma salvação” Virgílio poeta Romano.

NADA COMO UM DIA na política e uma eleição pelo meio. Na química é impossível, mas na política esta simbiose é possível. O cenário é o ano de 1962. Os dois maiores partidos do estado se preparavam para mais uma disputa de governador. UDN de um lado, PSD do outro. Ninguém em sã consciência poderia imaginar que duas greis tão divergentes, figadalmente inimigas pudessem se juntar para uma disputa eleitoral. Mas, na política há um axioma que diz: não existe nunca, nem jamais. Partindo desta premissa é que os líderes das duas agremiações que viviam as turras resolveram juntar “os trapos” para combater a ameaça de esquerdização da política cearense representada pelo PTB de Adahil Barreto e Carlos Jereissati. Havia ainda feridas que precisavam cicatrizar por conta das eleições de 1958, quando o candidato do PSD, Parsifal Barroso, derrotara o udenista Virgílio Távora, um coronel de patente que representava o “ Tavorismo” por conta dos ancestrais que se inseriram de forma marcante na política cearense. Parsifal chegava ao fim do seu mandato com influência muito forte do sogro, o sobralense Chico Monte, uma espécie de coronel sem patente, cujos métodos políticos não eram muito hortodoxos. Os rivais de ontem, usando um pragmatismo muito comum nos dias de hoje, resolveram esquecer as arengas do passado e se aliaram para derrotar o inimigo maior, mais imediato. Assim é que PSB e UDN formaram a famosa União pelo Ceará. Unidos os dois partidos isolavam o PTB, comandado em nosso estado pelo empresário Carlos Jereissati, maior importador de casimira e linho do Brasil e que entrara na política por aproximação que tivera com João Goulart. A aliança histórica colocou numa mesma chapa Virgílio Távora pela UDN, candidato a governador; e Figueiredo Correia pelo PSD, candidato a vice governador. Adahil Barreto foi o candidato pela oposição e trazia o apoio na condição de candidato ao senado um nome já muito forte eleitoralmente que era Carlos Jereissati. As contradições políticas explodiram na campanha por conta das bases de UDN e PSD que resistiam a uma união que parecia fadada ao fracasso. Foi necessária uma atuação muito intensa dos caciques dos dois partidos para que a aliança não fracassasse por conta das incoerências, tão comuns na política.

O isolamento de Adahil Barreto ajudou na tarefa de udenistas e pessedistas para o êxito da candidatura de Virgílio Távora. A União pelo Ceará, no entanto, não obteve vitória completa. De forma surpreendente, Carlos Jereissati ganhou uma das vagas de senador, ficando ao outra para Wilson Gonçalves. Jereissati que morreria em maio de 1963, no início do mandato, legaria para a política o filho, empresário Tasso Jereissati que por três vezes governou o Ceará e foi senador em um mandato. Virgílio Távora se notabilizou como estadista ao governador por duas vezes o estado com visão estratégica e desenvolvimentista.

Antonio Cardoso
Colunas - Francisco Bezerra - Grande Porto


Fonte: Ceará Agora    

DATAFOLHA - Eunício Oliveira 41% , Camilo Santana 34%...


DATAFOLHA -  Eunício Oliveira (PMDB)  41% , Camilo Santana (PT) 34%, Eliane Novais (PSB) 3% e Ailton Lopes (PSOL) 1%.

Camilo avança 3 pontos, mas Eunício lidera disputa ao governo do Estado
Eliane Novais (PSB) E Ailton Lopes (PSOL) caíram e estão com 3% e 1%, respectivamente
 
eleiç;ao

Pesquisa mostra a situação dos candidatos ao governo do Estado
Camilo Santana (PT) cresceu 3 pontos percentuais e chegou a 34% das intenções de voto na disputa ao governo do Estado, de acordo com pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (20). Eunício Oliveira (PMDB) manteve estabilidade em relação ao último levantamento e segue liderando com 41%.

Já os candidatos Eliane Novais (PSB) E Ailton Lopes (PSOL) caíram e estão com 3% e 1%, respectivamente.

Segundo Turno

Eunício teria, caso a eleição ocorresse hoje, 51% dos votos válidos, podendo ser eleito ainda no primeiro turno. Com a margem de erro, de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, há probabilidade de haver segundo turno.

De acordo com a pesquisa, o cenário, em um possível segundo turno, seria de 45% das intenções para Eunício e 37% para Camilo.

Pesquisa foi realizada pelos jornais O Povo e Folha de São Paulo, entre os dias 18 e 19 de setembro. Ao todo, foram ouvidos 1,2 mil eleitores em 47 municípios do Estado.


Fonte : Diário do Nordeste

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Dilma tem 37%, Marina, 30%, e Aécio, 17%, diz pesquisa Datafolha


Em simulação de 2º turno, Dilma e Marina estão empatadas tecnicamente.
Instituto ouviu 5.340 eleitores nos dias 17 e 18 de setembro.
Do G1, em São Paulo

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta-feira (19) pelo jornal "Folha de S.Paulo" aponta os seguintes percentuais de intenção de voto na corrida para a Presidência da República:

- Dilma Rousseff (PT): 37%
- Marina Silva (PSB): 30%
- Aécio Neves (PSDB): 17%
- Pastor Everaldo (PSC): 1%
- Luciana Genro (PSOL): 1%
- Eduardo Jorge (PV): 1%
- Zé Maria (PSTU): 0%*
- Rui Costa Pimenta (PCO): 0%*
- Eymael (PSDC): 0%*
- Levy Fidelix (PRTB): 0%*
- Mauro Iasi (PCB): 0%*
- Branco/nulo/nenhum: 6%
- Não sabe: 7%

* Cada um dos cinco indicados com 0% não atingiu, individualmente, 1% das intenções de voto. Somados, eles têm 1%.

No levantamento anterior do instituto, divulgado no dia 10, Dilma tinha 36%, Marina, 33%, e Aécio, 15%.

Segundo o Datafolha, é a primeira vez que Dilma abre vantagem sobre Marina desde a entrada da candidata do PSB na disputa, em agosto, após a morte de Eduardo Campos. A vantagem da petista passou de 3 para 7 pontos.

Segundo turno

O levantamento divulgado nesta sexta indica que, em um eventual segundo turno entre Dilma e Marina, as candidatas aparecem empatadas tecnicamente. A candidata do PSB tem 46% e a do PT, 44%. Na semana passada, Marina, com 47%, e Dilma, com 43%, também estavam tecnicamente empatadas.

Na simulação de segundo turno entre Dilma e Aécio, a petista vence por 49% a 39% (49% a 38% na semana anterior).

O instituto também fez uma simulação entre Marina e Aécio. O resultado foi 49% a 35% para a candidata do PSB (ante os 54% a 30% do último levantamento).

A pesquisa foi encomendada pela TV Globo e pelo jornal "Folha de S.Paulo".

O Datafolha ouviu 5.340 eleitores em 265 municípios nos dias 17 e 18 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos. O nível de confiança é de 95%. Isso significa que, se forem realizados 100 levantamentos, em 95 deles os resultados estariam dentro da margem de erro de dois pontos prevista. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número BR-00665/2014.

Espontânea
Na modalidade espontânea da pesquisa (em que o pesquisador somente pergunta ao entrevistado em quem ele pretende votar, sem apresentar a lista de candidatos), os resultados são os seguintes:
- Dilma Rousseff: 30%
- Marina Silva: 24%
- Aécio Neves: 12%
- Outras respostas: 1%
- Em branco/nulo/nenhum: 6%
- Não sabe: 26%

Rejeição
A presidente Dilma tem a maior taxa de rejeição (percentual dos que disseram que não votam em um candidato de jeito nenhum). Nesse item da pesquisa, os entrevistados puderam escolher mais de um nome.
- Dilma Roussef: 33%
- Marina Silva: 22%
- Aécio Neves: 21%
- Pastor Everaldo: 21%
- Zé Maria: 18%
- Levy Fidelix: 18%
- Eymael: 17%
- Luciana Genro: 16%
- Rui Costa Pimenta: 15%
- Eduardo Jorge: 15%
- Mauro Iasi: 14%

Avaliação da presidente

A pesquisa mostra que a administração da presidente Dilma Rousseff tem a aprovação de 37% dos entrevistados, que se refere aos entrevistados que classificaram o governo como “ótimo” ou “bom”.
Os que julgam o governo “ruim” ou “péssimo” são 24%, segundo o Datafolha. Para 38%, o governo é "regular". Os dois índices são os mesmos do levantamento anterior.
O resultado da avaliação é:
- Ótimo/bom: 37%
- Regular: 38%
- Ruim/péssimo: 24%
- Não sabe: 2%

A nota média atribuída pelos entrevistados ao governo foi 6,1.
Encontrou algum erro? Fale conosco
Pesquisa eleitoral Datafolha para presidente da República (Foto: Editoria de Arte/G1)


Fonte :  g1.globo.com